Search
Close this search box.

Houve um tempo em que as milícias agiam de maneira discreta, sendo vistas como uma “justiça paralela” que supria o abandono social causado pela ineficácia do Estado em políticas públicas. Contudo, essa realidade mudou. Hoje, essas organizações operam com uma audácia alarmante, exibindo sua crescente influência no meio criminoso e nos poderes em diversas regiões do Brasil.

Entre os nomes de destaque no Espírito Santo, está o de Gilbert Wagner Antunes Lopes, conhecido como Waguinho, um homem que manipula a narrativa de justiceiro para esconder sua verdadeira face: a de um perigoso miliciano.

Em maio de 2010, uma série de atos violentos trouxe Waguinho ao centro das atenções. De acordo com o jornal Metrópoles, ele foi acusado de disparar contra um usuário de drogas e, semanas depois, agredi-lo brutalmente com uma coronhada, levando a vítima a uma cirurgia de emergência. Este episódio é apenas um fragmento da vasta ficha criminal de Waguinho, revelando um padrão de comportamento que aterroriza a cidade de Presidente Kennedy e seus arredores.

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) foi claro em suas denúncias: Waguinho é parte de uma “verdadeira milícia” que, sob o pretexto de promover segurança, impõe um regime de violência e extermínio. Esse modus operandi não é novidade no cenário nacional, e pode ser comparado às práticas de milicianos famosos como o ex-capitão do Bope, Adriano da Nóbrega, e Wellington da Silva Braga, o Ecko, figuras que transformaram o Rio de Janeiro em um campo de batalha.

No caso de Waguinho, a estratégia de se disfarçar de justiceiro e a falsa atuação na segurança comunitária sempre foram ações muito bem arquitetadas. Relatórios do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo mostram que Waguinho, na verdade, foi o responsável por trazer grupos de extermínio cariocas para o Estado capixaba, especificamente para a cidade Marataízes.

A inspiração no grupo “Liga da Justiça”, e seu famoso apelido de Waguinho Batman, é mais uma demonstração de como o seu personagem foi bem pensado. A diferença é que, na trama, o verdadeiro Batman e sua Liga da Justiça são heróis que combatem o crime, enquanto Waguinho usava essa fachada para expandir suas atividades criminosas e consolidar seu poder por meio da violência armada.

Gilbert Wagner não apenas cometeu crimes contra a vida, mas também se envolveu em uma rede de ilegalidades que inclui a comercialização de veículos alienados e armas de fogo, além de arrombamentos de bancos e falsificação de documentos. Segundo a polícia, sua influência se estende a municípios vizinhos como Itapemirim e Marataízes, onde sua rede criminosa se desenvolve. A morte do vereador Marquinhos da Cooperativa em Presidente Kennedy, em maio de 2021, é um exemplo da brutalidade de Waguinho. As investigações apontam que a execução do parlamentar foi ordenada pelo miliciano e a motivação estaria relacionada a uma dívida que o mandante do crime tinha com o vereador.

Curiosamente, em 2012, Waguinho conseguiu um cargo público de destaque, sendo nomeado secretário municipal de Serviços Urbanos em Marataízes, durante a gestão do médico Jander Nunes Vidal. Apesar de seu histórico criminoso, ele foi reverenciado por servidores da pasta ao final do mandato, em 2016.

Ao se tornar parte do sistema político e administrativo, milicianos como ele não apenas fortalecem seu controle sobre as áreas onde atuam, mas também validam suas ações aos olhos da população, escondendo seu desprezo pela lei e pela vida humana. Essa dualidade – de prestadores de serviços e praticantes de violência – torna a luta contra as milícias mais difícil, já que suas falsas boas ações criam uma rede de apoio que dificulta o seu combate e torna impossível a erradicação.

Outro fato que demonstra forte manipulação de Waguinho nessa trama é a atuação do Comando da Aeronáutica, que o admitiu com base no princípio da “boa-fé administrativa”. Wagner teria apresentado documentos falsos e omitido os processos em que é réu na Justiça. Esses fatos passaram “despercebidos” pelas autoridades da Força, permitindo que o miliciano permanecesse empregado por quase dois anos. Porém, o fato curioso dessa história é que uma simples pesquisa no Google poderia ter revelado seu o histórico criminoso, evidenciando uma negligência no processo de admissão.

Com essas informações, é de se concluir que a verdadeira face de Waguinho Batman é de um homem perigoso, que se apresenta como salvador enquanto espalha medo e morte. Seu histórico criminoso é um alerta para a necessidade de uma resposta firme das autoridades. O litoral sul capixaba não pode se tornar um quintal que replica a violência miliciana que há anos aterroriza o Rio de Janeiro. Já a sociedade capixaba não pode se dar ao luxo de ignorar os sinais: a milícia, sob qualquer disfarce, é uma ameaça real e presente que deve ser combatida com toda a força do estado e da lei.

Partido traçou a capital como uma das suas prioridades no Estado.

A disputa para prefeitura de Vitória ganhou um novo concorrente. Dessa vez é o partido Avante que vai lançar candidatura própria e já tem nome definido. Trata-se de Eduardo Spadetto Ramlow, o Du, muito conhecido no meio empresarial de todo Estado e que recentemente esteve cotado para compor a vice em algumas chapas da capital.

O presidente nacional do Avante, deputado federal Luis Tibé (MG) assinalou o nome de Du como pré-candidato do partido em Vitória: “Ao povo do Espírito Santo, especialmente da capital Vitória, estamos aqui para reafirmar o compromisso do Avante com a pré-candidatura do Du, a qual não tenho dúvida que é um projeto que nasce competitivo, mais do que isso, vai ser uma excelente alternativa para Vitória. O Avante está junto nesse projeto e não tenho a mínima dúvida que será exitoso. Temos muita confiança, não só na sua eleição, mas na gestão arrojada que Vitória terá”, destacou.

Presidente nacional do Avante, deputado federal Luis Tibé (MG)

Na mesma linha, o presidente estadual da sigla no Estado, o ex-deputado federal, Dr. Jorge Silva, ressaltou as prioridades do partido: “Aqui no Espírito Santo definimos como prioridade a cidade de Vitória, conforme conversamos com o presidente nacional, o deputado Luís Tibé, que na hora chancelou o nome do Du, um empresário bem-sucedido, pessoa do bem e com uma experiência de gestão e vida marcante. O eleitor de Vitória pode ter a certeza da efetiva participação do Du, nosso pré-candidato a prefeito de Vitória, a cidade sol capixaba”, enfatizou.

Presidente estadual da sigla no Estado, o ex-deputado federal, Dr. Jorge Silva

Com o nome oficializado, o pré-candidato Du deu o tom das suas expectativas: “Vitória precisa de um novo projeto político, onde o cidadão tenha sua devida importância, vez e voz. Eu quero ouvir permanente a cidade, sentir a pulsação do cidadão que trabalha e sonha com dias melhores e com uma sociedade mais justa. Também quero compartilhar com a população, a minha experiência e a minha trajetória de vida. Eu conheço de perto as aflições de quem sofre e desde cedo aprendi o valor do trabalho. Não quero vender ilusões e apresentar dados desencontrados, quero mostrar para as pessoas que com gestão moderna, honestidade, transparência, dedicação e com uma equipe séria, competente, valorizada e cada um exercendo a função certa no lugar certo, selecionada por meritocracia, dá para mudar muita coisa em nossa cidade. Vitória não pode ficar para trás”.

O estrategista político Aldeci Carvalho, um dos reforços que Du trouxe para pensar e organizar sua campanha, compartilhou um pouco do planejamento em curso: “Está nascendo o Projeto Du, uma história que certamente vai impactar a vida dos moradores de Vitória, pois tem pessoas envolvidas que verdadeiramente querem e tem experiência para mudar a vida das pessoas positivamente, melhorando e muito a qualidade de vida de cada um que vive e se relacionam com nossa Amada Vitória, capital do Espírito Santo, podem esperar. Outra coisa, trouxemos o que existe de melhor para cada área da pré-campanha e da campanha, uma equipe de alta performance, vencedora e experiente, que já está fazendo todo levantamento da cidade. Tem muita coisa boa para acontecer dentro do planejamento estratégico que já foi iniciado. Anota aí, o Projeto Du tem uma proposta palpável, inovadora e vai surpreender muita gente. Aproveito para convidar você a conhecer melhor o Du e seus Projetos, seguindo suas redes sociais”, enfatizou.

Finalizando, Du assegurou que em breve será divulgado o lançamento oficial da sua pré-candidatura: “Estamos fechando nossas ações estratégicas, como a elaboração do plano de governo inteligente e moderno, focado no crescimento e no desenvolvimento da cidade. Vitória precisa afirmar seu protagonismo econômico e reafirmar sua importância tanto na economia estadual, quanto nacional. Estamos fazendo todo esse levantamento e em breve lançaremos oficialmente a nossa pré-candidatura”.

Iniciativa encabeçada pelo deputado Wellington Callegari (PL) teve ampla maioria e vai ser enviada para Câmara Federal, em Brasília.

Com 16 assinaturas favoráveis, a Assembleia Legislativa do Espírito Santo vai enviar uma “Moção de Apoio” ao Congresso Nacional, em razão da urgente necessidade de proteger a vida dos nascituros, por meio do Projeto de Lei nº 1904/2024, que visa proibir a prática de assistolia fetal, procedimento proibido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), através da Resolução nº 2.378/2024.

Entretanto, no mês passado, o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, por decisão monocrática, suspendeu a resolução do Conselho Federal de Medicina e liberou a prática em todo país, decisão polêmica que foi alvo de duras críticas, principalmente pela ala conservadora e por diversos segmentos ligados a política de saúde.

O deputado estadual Wellington Callegari não poupou a medida e disparou contra os seus defensores: “Uma aberração essa interferência do judiciário, suspendendo a resolução de um órgão altamente técnico e cientificamente habilitado para deliberar sobre o assunto. O aborto já é algo repugnante e vergonhoso, com amparo jurídico ainda é desonroso para qualquer nação. Se os brasileiros soubessem o que é assistolia fetal, tenho certeza que ninguém apoiaria uma atrocidade dessas. A proposta do Projeto de Lei 1904/24 que equipara o aborto ao crime de homicídio e trata seus autores como assassinos tem todo apoio da nossa Casa Legislativa. Precisamos endurecer as regras contra essa covardia defendida por quem não valoriza e muito menos respeita a vida”.

Na última quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados aprovou a urgência do projeto de lei 1904/24, que equipara o aborto ao crime de homicídio, aumentando de 10 para 20 anos a pena máxima para quem realizar o procedimento, tempo de prisão igual para casos de assassinatos. O autor da proposta, deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) comentou sobre a iniciativa: “Nosso projeto é a forma que temos de punir médicos, que se formaram para defender valores da vida, a se tornarem produtores de assassinatos de indefesos no ventre de suas mães”. Ele também classifica o aborto como degradação do ser humano, desvalorização da vida e que alguns partidos e o STF ignoram a ciência que tanto dizem defender.

No Brasil, o aborto é permitido apenas em casos de estupro, risco de vida materna ou quando o feto possui anencefalia. Contudo, o projeto tipifica a criminalização da interrupção acima de 22 semanas de gestação, independente dos casos já previstos na legislação.

Agora, o Projeto de Lei 1904/2024 será votado no plenário da Casa, sem a necessidade de passar pelas comissões internas da Câmara Federal.

Câmara dos Deputados analisa, hoje, a urgência do Projeto de Lei (PL) 1.904/24, que equipara o aborto ao homicídio simples. A matéria foi proposta pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ) e tem a coautoria de 32 parlamentares da oposição. A matéria altera quatro artigos do Código Penal para limitar o acesso à interrupção da gravidez — mesmo em casos de estupro.

Caso a urgência seja aprovada, o projeto poderá ser votado também hoje, sem necessidade de passar pelas comissões. A expectativa, segundo parlamentares ouvidos pelo Correio, é de que os deputados aprovem o requerimento. “Creio na aprovação. Precisamos de um Congresso que defenda a vida, jamais o feticídio”, afirmou o deputado Bibo Nunes (PL-RS), um dos signatários do texto.

O projeto altera os artigos 124, 125, 126 e 128 do Código Penal, que tratam sobre crimes contra a vida. Os dispositivos estabelecem penas para o aborto praticado pela gestante ou por terceiros. Prevê, ainda, pena de até três anos no primeiro caso e de 10 nos episódios em que a interrupção da gestação for realizada sem o consentimento da grávida. Se a matéria — chamada pelos opositores de PL da Gravidez Infantil —, for aprovada, em ambos os casos a pena máxima para quem realizar um aborto passará de 10 para 20 anos.

Confronto

A investida da oposição é mais um confronto com o Supremo Tribunal Federal (STF), que julga a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, que descriminalizar o aborto. A Corte analisa, justamente, os artigos 124 e 126 do Código Penal. Em voto que registrou antes de se aposentar, a ministra Rosa Weber considerou que a punição de até três anos para a gestante que provocar o aborto em si mesma está em desacordo com a Constituição. O presidente do STF, Luís Roberto Barroso, pediu vistas e interrompeu o julgamento.

Ao assumir o comando da Corte, no início do ano, o ministro sinalizou que não pautaria a ADPF 442, pois, segundo ele, o Brasil não está pronto para debater a descriminalização. Na justificativa do PL, o deputado Sóstenes Cavalcante classifica como “falaciosa” a decisão de Rosa Weber. “Mas isso parece não importar aos seus promotores. Há uma agenda a cumprir e, para os argumentos, basta uma aparência de verdade”, acusou.

A cidade de Montanha, localizada no norte do Espírito Santo, marcou presença na Feira dos Municípios com sua famosa iguaria: a carne de sol. Durante o evento, foram distribuídas mais de 2 mil porções desse delicioso prato, que conquistou o paladar dos visitantes.

Montanha, conhecida como a “Capital da Amizade”, não apenas ofereceu uma experiência gastronômica única aos participantes, mas também se destacou ao levar para casa três prêmios. Essa cidade do norte capixaba é famosa por sua carne de sol, cujo sabor característico e inconfundível é resultado de uma tradição culinária passada de geração em geração.

A carne de sol de Montanha foi preparada com maestria, utilizando cerca de 250 kg dessa iguaria, que é um verdadeiro patrimônio gastronômico da região. Com um acompanhamento de aipim, a combinação perfeita de sabores encantou os visitantes da Feira dos Municípios, que puderam saborear essa delícia e se deliciar com a qualidade e tradição desse prato.

Além de oferecer uma experiência gastronômica única, Montanha tem um objetivo audacioso: entrar para o Guinness Book com a maior porção de carne de sol do mundo. Com sua rica tradição culinária e o sabor inigualável de sua carne de sol, essa cidade busca deixar sua marca não apenas no paladar dos visitantes, mas também no livro dos recordes.

Com sua participação na Feira dos Municípios, Montanha mostrou seu potencial gastronômico e sua paixão pela culinária regional. A cidade se orgulha de sua iguaria mais famosa, a carne de sol, e continua a encantar paladares com sua qualidade e sabor incomparáveis.

“Vamos encaminhar os registros para avaliação deste recorde e, pelo que já pesquisamos, não há recorde semelhante no Guinness Book. Acredito que será mais um grande reconhecimento da qualidade do que produzimos aqui em nossa região”, disse o prefeito André Sampaio.

FESTIVAL GASTRONÔMICO ACONTECE EM JULHO

No próximo mês terá início a 6º edição do Festival Gastronômico de Carne de Sol de Montanha e vários restaurantes vão participar de um desafio para apresentar o melhor prato aos clientes e aos chefes, concorrendo a prêmios, após avaliação técnica e voto popular.

A secretária municipal de Cultura de Montanha, Elandra Pardinho, ressaltou a relevância do evento para o turismo de toda a região da Doce Terra Morena, que reúne Montanha, Mucurici, Pedro Canário, Pinheiros e Ponto Belo.

“Com belas paisagens e uma hospitalidade incomparável, a região oferece inúmeras atrações turísticas para quem deseja conhecer mais sobre as origens e tradições do que temos de especial aqui no norte do Estado”

No lançamento da pré-candidatura, o ex-presidente fez uma chamada ao vivo e garantiu apoio ao nome de Jaiminho.

O Partido Liberal terá candidato a prefeito de Marataízes, trata-se do atual vice-prefeito da cidade. Na última semana, aconteceu o lançamento oficial da sua pré-candidatura, com direito a ligação de vídeo do ex-presidente Jair Bolsonaro, que confirmou o nome de Jaiminho Machado para as eleições majoritárias do município.

O deputado estadual Wellington Callegari (PL) prestigiou o evento e falou das suas expectativas: “Jaiminho vem para somar, vai ter toda segurança e participação do partido e do nosso presidente Bolsonaro. Marataízes precisa virar essa página confusa e reconstruir seu caminho político e administrativo, dada a sua importância estratégica para o desenvolvimento da região sul do Estado. Tenho certeza que os patriotas e conservadores  vão entender e apoiar o nome de Jaiminho Machado. Estamos todos com ele”.

Jaiminho não escondeu sua alegria e afirmou que está pronto para a disputa: “tenho o apoio do senador Magno Malta, dos deputados Gilvan da Federal, Wellington Callegari, Lucas Polese e também do presidente Bolsonaro, uma honra para mim. Vamos fazer todo levantamento técnico do município e abrir o diálogo com a sociedade de Marataízes. Quero oferecer aos munícipes uma nova forma de fazer e viver a política, prezando pela honestidade, transparência e pela competência. Tenho certeza que a população vai acolher o nosso nome e as nossas propostas”, destacou o pré-candidato.

O evento que oficializou o nome de Jaiminho Machado aconteceu no último dia 06 (quinta-feira) e contou com a presença da cúpula do Partido Liberal capixaba, como Gilvan da Federal (PL), Wellington Callegari (PL), o ex-prefeito Ananias Vieira, o vice-presidente estadual do PL, Pastor Salvador, o pré-candidato a prefeito de Cachoeiro de Itapemirim, vereador Léo Camargo (PL), o presidente do PL local, Amarildo Tognere.

Ao assumir a presidência em 10 de dezembro de 2023, Javier Milei herdou uma inflação na Argentina que havia ultrapassado 200% nos últimos 12 meses. Em novembro, os preços haviam registrado um aumento de pouco mais de 160%.

Em abril, a inflação acumulada atingiu 289,4%. No entanto, a tendência vem sendo de redução, com abril marcando a quarta queda consecutiva, registrando 8,8% em comparação aos 11% de março.

Segundo analistas consultados, o “tratamento de choque” sugerido pelo novo presidente durante a campanha está colocando o país na “direção certa” para estabilizar a economia.

“O governo Milei entendeu que a Argentina estava em uma situação macroeconômica muito complicada”, comenta Camilo Tiscornia, professor de macroeconomia na Pontifícia Universidade Católica da Argentina.

O ponto crucial que precisou ser ajustado, ou neste caso, o recurso que precisou ser cortado, referia-se aos gastos públicos.

No momento da posse, o governo argentino enfrentava um déficit primário de quase 3% do Produto Interno Bruto (PIB).

“Por trás do grande problema de inflação da Argentina está o permanente déficit fiscal. Então, eliminá-lo, como está fazendo o governo atual, é um passo na direção correta”, avalia Tiscornia.

O tratamento de choque começou imediatamente após a posse. O corte de investimentos na indústria e no comércio, a revogação de leis ambientais e a promoção de políticas que facilitem a privatização de estatais foram algumas das medidas do “decretaço” de Milei.

Além disso, os subsídios para os setores de gás, eletricidade, combustíveis e transporte público foram reduzidos.

Em março, ocorreu o resultado esperado: o governo argentino teve seu primeiro superávit trimestral desde 2008, com caixa de 275 bilhões de pesos por mês.

“A inflação caiu porque o gasto público caiu. A gente tem uma redução tremenda no gasto, ou seja, a demanda do estado hoje é muito menor”, aponta Mauro Rochlin, economista e professor da FGV.

“Acho que o país caminha na direção certa uma vez que a gente tem uma redução muito acentuada da inflação”, reforça.

A economia do país, por outro lado, vem recuando. A queda de 8,4% em março na comparação com fevereiro foi o quinto mês consecutivo.

Tiscornia explica que o movimento era esperado, pois as medidas iniciais de Milei para controlar a inflação desacelerariam a economia.

No entanto, ele enfatiza que “o caminho é o superávit” para reiniciar a economia e permitir a circulação de crédito no país.

“Ainda tem muito o que ser feito para poder recuperar a economia argentina, mas isso começa a dar bons olhos para o mundo”, avalia Jefferson Laatus, estrategista-chefe da consultoria Laatus.

As medidas do governo sobre o câmbio são o foco principal do analista. A desvalorização de quase 50% do peso em relação ao dólar foi divulgada em dezembro.

Acabar com as amarras e preços econômicos artificiais era uma das promessas de Milei. Entre elas, o câmbio artificialmente regulado pelo governo. Após uma rápida perda de valor, as cotações passaram a mostrar alguma estabilidade do câmbio, o que ajudou a controlar a inflação.

“O processo [de controle da inflação] é tido como positivo e vem colocando novamente a Argentina como um possível futuro investimento pros grandes investidores”, aponta Laatus.

Desde que Milei assumiu a presidência, o índice S&P Merval, que serve como referência para a bolsa de valores argentina, subiu mais de 70%, atingindo 1.659.247,63 pontos nesta segunda-feira (3).

“Todos os bancos internacionais e, principalmente, os grandes capitais internos na Argentina, apoiam ruidosamente essa proposta de Milei. Ela é aplaudida pelos bancos externos porque eles veem um movimento que vai lhes garantir o pagamento dos valores já emprestados”, pondera Leonardo Trevisan, professor de relações internacionais da ESPM.

Em fevereiro, o Fundo Monetário Internacional (FMI) descreveu o plano de estabilização econômica de Milei para a Argentina como “ousado” e “muito mais ambicioso” em comparação com os dos governos anteriores.

“A forte apropriação por parte das autoridades e o compromisso eleitoral para eliminar os déficits fiscais e os impedimentos de longa data ao crescimento (muitos deles beneficiando interesses particulares) atenuam os riscos de implementação”, disse o Fundo em um relatório técnico sobre a Argentina.

Os economistas, no entanto, admitem que, apesar dos sinais de melhora, a situação requer cautela devido à incerteza sobre sua sustentabilidade.

“A dúvida hoje é se esse choque fiscal vai se manter, uma vez que o impacto social é muito grande”, ressalta Rochlin.

O economista da FGV destaca que a reforma não apenas reduz a inflação, mas também provoca um “aumento das tensões sociais”.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas e Censos (INDEC) da Argentina, no final de 2023, 41,7% da população do país vivia em situação de pobreza.

Seja como for, um relatório da Universidade Católica da Argentina diz que a pobreza na Argentina atingiu 57,4% em janeiro, o nível mais alto em pelo menos 20 anos.

Portanto, Trevisan aponta que “os críticos da reforma são aqueles que estão pagando a conta desse aumento”.

O economista Roberto Luis Troster enfatiza que, apesar de vários indicadores positivos da economia, “os próximos passos são definições além de ajustar o mercado”.

“Ele vem fazendo um bom trabalho, mas tem que pensar o que vai fazer para a educação, que é a base do crescimento de um país. O que vai fazer para a saúde?”, indaga o economista.

Esta marca a quarta vez em que o Instituto Projeto Neymar Jr. realiza um leilão, destinado a auxiliar crianças e adolescentes com idades entre 7 e 18 anos.

Na noite de segunda-feira, dia 3, o leilão realizado pelo Instituto Projeto Neymar Jr. arrecadou R$ 21 milhões. Os números foram divulgados por Nadine Gonçalves, presidente da organização e mãe do jogador. Este valor é mais do que o dobro do que foi arrecadado na edição anterior, em 2023, quando atingiu R$ 10 milhões.

Havia 24 lotes disponíveis com itens extremamente raros, incluindo a camisa usada no último jogo de Pelé, autografada pelo Rei do Futebol, que faleceu em dezembro de 2022, e uma chuteira de ouro 18 quilates.

Os fundos arrecadados serão direcionados para beneficiar os assistidos pelo Instituto, uma organização sem fins lucrativos que procura ampliar as oportunidades para crianças, adolescentes e suas famílias em situação de vulnerabilidade social. Estabelecido em 2014, o instituto atualmente presta assistência a milhares de crianças e jovens com idades entre 7 e 18 anos.

Durante o evento, ao falar com a imprensa, Neymar destacou a importância da oportunidade de contribuir: “Muito feliz de estar fazendo o leilão mais um ano, a gente espera arrecadar uma quantia para continuar ajudando muitas crianças e famílias”.

Veja os itens que foram vendidos no leilão:

• Camisa do último jogo de Pelé autografada pelo Rei do Futebol

• Descubra os Emirados Árabes e as exclusivas Ilhas Maldivas

• Camarote exclusivo no show de Eric Clapton no Allianz Parque

• Casa em Orlando, experiência com bastidores do Magic Kingdom e cruzeiro Disney

• Camisa especial da Seleção Brasileira autografada pelos jogadores do jogo em homenagem à Vinicius Jr.

• Experiência no Grande Hotel de Araxá com o tenista Bruno Soares e ingressos para o US Open

• Experiência única com o time do Flamengo e churrasco na casa de Léo Pereira

• Partida de pôquer com Neymar Jr.

• Desfile das campeãs no Camarote Quem

• Viagem de luxo para a Europa visitando Londres, Capri e Maiorca

• Experiência exclusiva com Charles do Bronx

• Dia especial no haras do cantor Eduardo Costa

• Camisa oficial do PSG autografada por Neymar Jr., Messi e Mbappé

• Partida de tênis com Ronaldo Fenômeno na casa do jogador

• Campanha com Rodrigo Faro, Adriane Galisteu e Jojo Todynho por seis meses

• Camisa do Barcelona autografada por Messi, Suárez e Neymar

• Cruzeiro pelos Emirados Árabes

• Palestra com Thiago Nigro e ‘touro de ouro’ de Pablo Spyer

• Relógio Hublot King Power Bib Bang Miami 305 em ouro rosé oferecida por Faustão

• Experiência no kartódromo de Neymar Jr. em Mangaratiba com transporte de helicóptero

• Chuteira de Neymar Jr. banhada a ouro 18 quilates com pedras preciosas

• Camisa da Seleção autogragada por Pelé, Ronaldo e Neymar Jr.

• Passeio por Riad, assistir ao jogo do Al Hilal no camarote e encontro com o craque

• Lote surpresa oferecido por Neymar Jr, que foi o cinturão de boxe de Popó

As inscrições para o edital Nossa Bolsa 2024/02 estão abertas! Com investimento de R$ 47 milhões do Governo do Estado, o edital oferece 1.001 bolsas integrais para estudantes capixabas que desejam realizar a primeira graduação. São 40 opções de cursos, em diversas áreas, em 30 universidades localizadas na Grande Vitória e interior. Os interessados podem se inscrever até 27 junho, no site www.fapes.es.gov.br/nossabolsa.

Para a inscrição é necessário que os interessados tenham concluído o Ensino Médio e realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), entre os anos de 2019 e 2023, ter renda per capita de até um salário mínimo e meio, além de ter estudado o Ensino Médio em escola da rede pública ou rede particular com bolsa integral. O programa prioriza estudantes que moram em bairros com alto índice de vulnerabilidade social e de quem se autodeclara afrodescendente.  Os contemplados com as bolsas terão o curso totalmente pago pelo Governo do Estado.

O Programa Nossa Bolsa 2024/02 é uma realização da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) em parceria com da Secretaria da Educação (Sedu). O diretor Geral da Fapes, Rodrigo Varejão, destacou o impacto social do Nossa Bolsa. “Os investimentos do Governo do Estado em bolsas de estudo para jovens residentes de áreas socialmente vulneráveis são essenciais para promover a equidade, desenvolver economicamente o Estado, fortalecer a coesão social e cultural e gerar um retorno positivo para a sociedade como um todo. Ao garantir que mais jovens tenham acesso ao Ensino Superior, o Governo não só melhora as perspectivas individuais desses estudantes, mas também contribui para um futuro mais próspero e justo para todos”, declarou Rodrigo Varejão.

Entre os requisitos, o 2º edital do Nossa Bolsa em 2024 traz novidade. O candidato deve, agora, ter renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. Antes, o valor era de um salário mínimo. A mudança foi realizada a partir de decreto assinado pelo governador do Estado Renato Casagrande e a medida amplia o público-alvo do programa.

Segundo o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional, Bruno Lamas, o objetivo dessa mudança nos critérios das bolsas é abrir mais oportunidades para os capixabas. “Essa medida visa diminuir as diferenças no acesso à educação, pois mais pessoas poderão concorrer às vagas. Além disso, ao investir na formação de profissionais capacitados, o Estado impulsiona sua capacidade de inovação e desenvolvimento, criando um ambiente favorável para o avanço e a prosperidade de todos. O decreto não apenas representa um avanço na política educacional do Espírito Santo, mas também reafirma o compromisso do Governo do Estado em construir um futuro mais justo, inclusivo e promissor para todos os capixabas”, afirmou Lamas.

Impacto na vida dos contemplados 

A estudante de jornalismo Kariana Ferreira conta que o Programa Nossa Bolsa foi sua última tentativa de entrar na faculdade: “eu sempre quis dar continuidade aos meus estudos, mas no ano em que eu me inscrevi, estava bem desanimada em continuar tentando, além do abalo psicológico por conta da pandemia.  Enfim, consegui a bolsa e está sendo uma das coisas mais incríveis que já me aconteceu. Por conta do Nossa Bolsa estou fazendo o que amo e me relacionando com pessoas maravilhosas que tenho certeza que não conheceria se não fosse por essa experiência”, pontuou a universitária, ressaltando que atualmente faz estágio na área. 

Outro exemplo é o de Bárbara Dias, estudante de Publicidade e Propaganda. “Sempre sonhei em cursar uma faculdade, mas as dificuldades financeiras eram um obstáculo e o Nossa Bolsa proporcionou uma oportunidade única de acessar uma educação superior de qualidade. O Programa tem sido crucial para a minha vida, proporcionando oportunidades educacionais que de outras formas seriam inacessíveis para mim”, disse Bárbara Dias, destacando que começou um estágio como Auxiliar de Marketing no início de 2023 e atualmente é funcionária da empresa. 

Como é feita a inscrição? 

inscrição está aberta até 27 de junho e deve ser feita pelo site www.fapes.es.gov.br/nossanolsa. O candidato deve preencher seus dados pessoais e escolher qual curso, turno e instituição de ensino que deseja concorrer a bolsa. 

Como é a seleção pela nota do Enem? 

interessado pode escolher qual nota do Enem, entre 2019 e 2023, quer usar na seletiva. E, de acordo com o edital, a seleção será feita pela média global de 450 pontos nas provas objetivas e a redação. Além da média global, o estudante deve ter tido nota mínima de 400 pontos na redação. 

Quem pode concorrer as bolsas? 

O candidato deve ter realizado uma das provas do Enem referentes aos anos de 2019 a 2023 e ter renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. 

O processo seletivo do Nossa Bolsa prioriza o ingresso de pessoas que moram em bairros com alto índice de vulnerabilidade social e de quem se autodeclara afrodescendente ou negro no ato da inscrição. Por isso, é preciso informar o Código de Endereçamento Postal (CEP) para verificar se o candidato está em um bairro atendido pelo Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

De acordo com o edital de seleção, somente poderá participar do Nossa Bolsa 2024 o estudante que atender a uma das condições a seguir: 

  • Ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública localizada no Espírito Santo;
  • Ter cursado completamente o Ensino Médio em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição localizada no Espírito Sant
  • Ter cursado o Ensino Médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição localizada no Espírito Santo
  • Ter concluído curso técnico em um dos Centros Estaduais de Educação Técnica (CEET) no Espírito Santo;
  • Ter cursado o Ensino Médio e/ou Curso Técnico nas Escolas do Movimento de Educação Promocional do Espírito Santo.
  • Não podem concorrer a uma das bolsas os estudantes que: 
  • Já tenham sido beneficiários do Programa Nossa Bolsa;
  • Já tenham concluído qualquer curso de graduação.  

O que é o Programa Nossa Bolsa? 

O Programa Nossa Bolsa concede bolsas em cursos de graduação ofertados por instituições privadas e é destinado aos capixabas que concluíram o Ensino Médio em escolas da Rede Pública de Ensino ou em escolas privadas, na condição de bolsistas integrais. O Programa integra o eixo Ensino Superior, do Sistema Universidade do Espírito Santo – UniversidadES. 

Serviço:

Programa Nossa Bolsa 2024/02

Edital Fapes 04/2024 – Nossa Bolsa 2024/2: clique aqui e acesse o edital

Inscrições de 04/06 a 27/06, por meio do site: www.fapes.es.gov.br/nossabolsa

ESPORTES