Conecte-se Conosco

Esportes

Após bronze inédito, Zion sonha com Jogos de Inverno de 2026 na Itália

Redação O Fator Brasil

Publicado

em

apos-bronze-inedito,-zion-sonha-com-jogos-de-inverno-de-2026-na-italia

O catarinense Zion Bethônico, de 18 anos, pode dizer que conseguiu, ainda muito jovem, algo que nenhum brasileiro havia alcançado ainda. No dia 20 de janeiro – quando ele ainda tinha 17, já que fez aniversário no último domingo (28) – ele conquistou o bronze no snowboard cross nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude, em Gangwon (Coreia do Sul), se tornando o primeiro atleta do país a subir ao pódio em uma Olimpíada de Inverno – seja entre jovens ou adultos – na história. De volta ao Brasil, ele visitou as instalações do Centro de Treinamento do COB, no Rio de Janeiro, nesta terça (30) e contou que foi pego de surpresa ao saber do ineditismo do feito.

“Contaram para mim na linha de chegada. Ainda estava decepcionado que não havia conseguido o ouro. Ao final da descida, o pessoal do time Brasil me recebeu com tantos gritos que fiquei impressionado. Pensei comigo: ‘realmente fiz algo de se honrar”, disse o catarinense à Agência Brasil.

— Time Brasil (@timebrasil) January 20, 2024

Já ciente da repercussão de sua conquista, o menino, que retornou ao país no último dia 25, tem passado os últimos dias descansando e contando sua história, alvo de curiosidade para um público pouco acostumado a acompanhar esportes disputados abaixo de zero grau. Zion revelou como se prepara ao longo do ano para competir.

“No Brasil, eu só faço a parte da preparação física. Eu passo mais da metade do ano fora e em competições na América do Sul, América do Norte, Estados Unidos, Canadá. E de outubro até dezembro eu passo na Europa. Eu fico indo de competição em competição e tentando ganhar o máximo de experiência em corrida. Já me acostumei. Estou há muitos anos fazendo isso e é uma rotina que eu gosto. Eu prefiro o frio ao calor, talvez (risos)”, dispara.

A preferência fica ainda mais clara quando ele revela que Snowmass Village, cidade no estado norte-americano do Colorado, é o lugar preferido dele no mundo inteiro. Zion pôde estudar e treinar no local por dois anos quando era menor.

No ambiente familiar, ele encontrou a maior inspiração: o irmão Noah, que também participou dos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude no snowboard cross, mas na edição de 2020, em Lausanne, na Suíça.

“Estamos juntos desde pequenos e ele sempre esteve um passo à frente. Então estou sempre correndo atrás dele e ele dando o máximo para não deixar eu alcançá-lo. A gente se puxa para frente, com certeza”, opina Zion.

Agora atleta adulto, Zion tem desafios pela frente

Durante a visita ao CT do COB, Zion conversou brevemente com o presidente da entidade, Paulo Wanderley Teixeira, que considerou o resultado na Coreia do Sul o primeiro passo para uma evolução do Brasil nos esportes de inverno.

Publicidade

“Ainda é preciso muita paciência e perseverança, principalmente. Mas o caminho está aberto. O comitê vem dando suporte às duas confederações, tanto a de neve quanto a de gelo. E elas têm aproveitado esses projetos específicos de apoio às modalidades de inverno”, disse o dirigente.

Como ultrapassou o recorte de idade para participar de competições como atleta da juventude, Zion agora terá que encarar a categoria adulta. Ir aos Jogos Olímpicos de Inverno em 2026, nas cidades italianas de Milão e Cortina D’Ampezzo, passou a ser o seu grande objetivo. Curiosamente, enquanto realizava o passeio organizado pelo COB, o jovem encontrou outra atleta brasileira de carreira destacada nos esportes na neve.

Jaqueline Mourão, de 48 anos, fez história como a primeira brasileira a participar de Olimpíadas de verão como de inverno. Em 2022, ela se tornou a atleta do país com mais edições olímpicas no currículo: oito, sendo cinco de inverno (onde compete no esqui cross country) e três de verão (no ciclismo mountain bike). Ela estava participando de um curso no local e falou sobre a alegria pela conquista de Zion, compartilhada com outros atletas brasileiros.

“Foi um resultado incrível para todos os amantes dos esportes da neve no Brasil. Falei para ele: você realizou o meu sonho. O sonho de todos os apaixonados de ver o Brasil realmente participando do esporte e conseguindo a sua excelência. Ele tem que continuar a carreira dele, tem ainda várias etapas para desenvolver e que essa medalha não seja um peso na carreira dele. Que seja só um empurrãozinho ali para que ele conquiste os sonhos dele”, disse Jaqueline.

O Fator Brasil é um portal de notícias que acredita no Jornalismo comprometido com a verdade dos fatos e com a ética, trazendo sempre os principais acontecimentos do Espírito Santo e do Brasil.

Esportes

Mbappé anuncia saída do PSG

Redação O Fator Brasil

Publicado

em

Na tarde desta sexta-feira (10), o atacante Kylian Mbappé Lottin, de 25 anos, declarou que não estenderá seu contrato com o PSG (Paris Saint-Germain). O jogador francês fará sua última partida no Parque dos Príncipes neste domingo (12).

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o jogador expressou sua gratidão aos torcedores. Embora tivesse a opção de estender seu contrato até 2025, ele decidiu não utilizar a cláusula de renovação.

O futuro de Mbappé permanece incerto, apesar de relatos da imprensa espanhola e francesa indicarem que ele se transferirá para o Real Madrid, equipe espanhola que tentou contratá-lo em diversas ocasiões recentes.

O anúncio da partida de Mbappé vem logo após a eliminação do PSG nas semifinais da Liga dos Campeões, apenas alguns dias atrás.

Continue Lendo

Esportes

Gabigol é suspenso por dois anos por fraude em exame antidoping

Redação O Fator Brasil

Publicado

em

Gabriel Barbosa, mais conhecido como Gabigol, recebeu uma suspensão de dois anos devido a uma infração relacionada a exame antidoping. O processo judicial teve início na semana passada e foi finalizado nesta segunda-feira (25/3). A punição foi estabelecida a partir da data da coleta do exame, ocorrida no ano passado, e terá término em 8 de abril de 2025. É possível recorrer da decisão.

O Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem declarou Gabigol como responsável em uma audiência que durou pouco mais de duas horas. O jogador participou da sessão nesta segunda-feira. A defesa do atacante argumenta que Gabigol realizou o teste de sangue, que é considerado mais confiável. A decisão final foi tomada com uma vantagem de 5 votos a favor e 4 contra a punição.

Gabigol enfrenta acusações de obstrução da realização do exame antidoping. Relatórios dos oficiais responsáveis pela coleta indicam que o comportamento do jogador é descrito como “fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle”.

Os profissionais encarregados do exame antidoping afirmam que o jogador não se aproximou deles antes do treino, os ignorou posteriormente e foi almoçar, além de demonstrar desrespeito em relação à equipe.

O processo que considerou Gabigol culpado no caso do exame antidoping também menciona que o jogador tentou ocultar sua genitália ao urinar no recipiente, impedindo o oficial responsável pela supervisão de visualizar a saída da urina.

Publicidade

Ele não aderiu aos procedimentos recomendados, pegou o recipiente de coleta sem comunicar a ninguém, demonstrou irritação ao perceber que o responsável o acompanhou até o banheiro para a coleta e entregou o recipiente aberto, indo contra as instruções recebidas.

O jogador número 10 do time do Flamengo foi acusado de violar o artigo 122 do Código Brasileiro Antidoping, que trata de “fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle e prevê uma possível suspensão de até quatro anos em caso de veredicto culpado.

O jogador recebeu a denúncia no final de 2023. Sua defesa foi submetida em janeiro e incluiu imagens das câmeras de segurança do CT Ninho do Urubu.

Continue Lendo

Esportes

Capixaba conquista três medalhas com a seleção brasileira na Copa do Mundo de Tiro Esportivo Paralímpico

Redação O Fator Brasil

Publicado

em

O Brasil realizou mais um grande feito no tiro esportivo paralímpico, com a participação do capixaba Bruno Kiefer. Nessa quinta-feira (14), a seleção brasileira encerrou a disputa na Copa do Mundo com duas medalhas de ouro e uma de prata. A competição aconteceu em Nova Déli, na Índia.

Bruno Kiefer é contemplado pelo programa Bolsa Atleta, da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport). A primeira medalha de ouro foi conquistada na disputa por equipe, na prova R4 – time misto 10m carabina de ar em pé SH2, no último sábado (09), pelos paratletas Bruno Kiefer, Alexandre Galgani e Jéssica Michalack.

No domingo (11), o capixaba também subiu ao topo do pódio junto à atiradora catarinense Jéssica Michalack, na prova R11 – dupla mista 10m carabina de ar em pé SH2. Na última disputa, realizada nessa quinta-feira (14), a equipe alcançou a medalha de prata na prova de R5 – time misto 10m carabina de ar deitado SH2. Com o resultado, o Brasil fez a melhor campanha em uma Copa do Mundo da modalidade.

Embora não tenha conquistado a sonhada vaga para a Paralímpiada de Paris 2024, Bruno Kiefer celebrou fazer parte de mais uma conquista histórica para o Brasil no esporte.

“Foi muito gratificante, o nosso trabalho está rendendo e estamos em um crescimento maior desde o ano passado. Essa é a maior conquista do Brasil na história da Copa do Mundo, então essa foi a melhor passagem do país na competição. Queria muito a vaga para a Paralimpíada de Paris, fiquei em nona colocação no R4 e por pouco não consegui, mas vai ficar para a próxima”, disse Bruno Kiefer.

Publicidade

Em 2023, o trio também fez história ao conquistar uma medalha inédita no Campeonato Mundial na disputa por equipes mista. A edição foi realizada no mês de setembro, em Lima, no Peru.

Continue Lendo
Publicidade
Publicidade

Política

Publicidade

Tendência